O maravilhoso header é cortesia da Palmier Encoberto. Quem mais?

quarta-feira, janeiro 29, 2014

A morte não explicada às crianças

Às primeiras perguntas respondemos para não se preocuparem com isso, que é só quando formos todos muiiiito velhinhos.
Depois, por circunstâncias da vida, porque vêem televisão, porque ouvem conversas, descobrem que não. Pode acontecer a qualquer um. Até aos mais novos, até às crianças.
É entao que lhes falamos do Céu, onde iremos estar todos juntos, alegres e felizes, tão bom que ninguém quer voltar. Juntam-se muitas perguntas sobre a viagem, se vamos a voar, se nos nascem asinhas, se um anjo vem buscar...Um dia dou com Migalha do Meio a olhar para o ar, para lado nenhum. Estava a ver se via a minha falecida avó "passar".
Até que um dia descobrem os cemitérios. E o que são. Mas e se as pessoas vão para o Céu, como é que estão ali, dentro daquelas casinhas de pedra?
E nesse momento explico que fica o corpo, para o céu só vai a alma.
E descubro que não consigo explicar-lhes o que é a alma...E que não consigo aplacar-lhes a angústia da tomada de consciência da sua finitude neste mundo, porque não consigo explicar-lhes como será no outro.
Vamos lá a saber: como se explica a crianças piquenas, o que é a alma?
Alguém?

21 comentários:

  1. Não posso ajudar mas também quero saber. A minha ainda está na fase do "e caiu e pumba morreu e depois veio o príncipe e depois foram casar e depois dançaram e pronto". Obrigadinha Disney.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Sancho também. Pistola em riste, e vou matar tu e pumba!

      Eliminar
  2. A Mironinho "encaixou" muito bem a ideia da morte. O Bisavô morreu quando ela tinha 2 anos e meio e lembra-se perfeitamente de brincar com ele, gosta de ir ao quarto dle em casa dos meus pais e de dizer que este era o quarto o avô (nunca a ensinámos a chamar bisavô). Para ela as pessoas ficam velhinhas e doentinhas e depois têm saudades da avó (a bisavó, portanto) e vai para o céu ter com ela. Quando me perguntou como é que se ia para o Céu eu disse-lhe que é como se todo o amor e coisas boas dessas pessoas se evaporasse e fosse para o céu, assim como o vapor da casa de banho (a água arrefece e vai pelo cano abaixo, mas o calorzinho vai para o céu)... Ela perguntou-me se era como as nuvens e eu disse que sim, mais ou menos, ao que ela respondeu "ah, por isso é que não caem". De maneira que, até novo interrogatório, a versão do vapor serve perfeitamente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É uma boa explicação...A analogia do vapor. Bem melhor que a das energias (tentei, flop dos grandes).

      Eliminar
    2. Epá, isso das energias lembra-me a Galp :)

      Eliminar
  3. Por favor... eu preciso urgentemente de ajuda com isto... :(

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, o Jr tinha a mesma idade e a avó não era velhinha. Ele viu-a sempre com bom ar, não é? Não faço ideia. Se calhar explicando que às vezes temos doenças pequeninas, como uma constipação, outras vezes há doenças maiores e a pessoa fica tão cansadinha que tem de ir para o céu descansar. É difícil, acredito, termos de explicar isto aos pequenitos, quando nem nós, adultos, conseguimos perceber. Beijinho.

      Eliminar
    2. Eu diria a verdade NM, que há mortes de velhice e de doença. E que por vezes as doenças não se veem. Exagera na idade, tens que ter cuidado para que ele não fica ansioso relativamente aos próprios pais.

      Eliminar
    3. Eu só lhe disse que foi para o Céu.... Mas não lhe chegou e sinto mesmo que ele me está a dar tempo a mim para me voltar a perguntar. O problema é que, ainda hoje, eu não consigo falar com ele disto sem que se me arrasem os olhos de água... E eu também não quero que ele fique muito ansioso em relação aos outros avós.

      Eliminar
    4. NM... Tão difícil. Queremos dar leveza à coisa, mostrar que é uma coisa natural, poupa-los. Se calhar, o problema é esse, queremos sempre poupa-los, protege-los. Se falamos de doenças vão ter medo quando estiverem doentes, se falamos da idade vão temer pelos avós e bisavós...Tão difícil!

      Eliminar
    5. Mas não faz mal que ele te veja a chorar. As pessoas quando estão tristes choram, faz parte.
      És uma rapariga sensata e sensível, tenho a certeza de que vais saber qual a melhor maneira. Se ainda não sabes é porque ainda não é o tempo... teu ou dele..
      Um grande beijinho

      Eliminar
  4. Xaxia, repliquei a tua pergunta.
    Espero que venham respostas que te possam ajudar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada!!!! Muitas cabeças pensam melhor do que três ou quatro...:)

      Eliminar
  5. Eu costumo dizer que a alma é o que está dentro do nosso coração e cabeça, que quando morremos os nossos pensamentos e sentimentos vão todos para o céu... para junto de Deus e das nossas pessoas queridas que partiram primeiro.
    Mas ainda assim quem morre não nos deixa, vive dentro no nosso coração, e até os podemos ver. Basta que, à noite, olhemos para cima, a estrela mais brilhante que virmos é o nosso ente querido, a dizer-nos adeus e a tomar conta de nós.
    É isto que eu digo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também já falei dos sentimentos, e do amor. Depois tentei a abordagem das energias, mas cruzes, deu barraca, e tive que recuar...À medida que vão crescendo torna-se cada vez mais complicado...

      Eliminar
  6. Bem não é fácil explicar o q é a alma pq é um conceito abstracto e depois depende das crianças. Umas aceitam que é uma estrelinha no céu, mas outras não. O meu pimpolho é pragmático até ao tutano e tem essa questão muito bem resolvida (até ñ sei bem qdo, mas vá). As pessoas morrem vão para um buraco no cemitério e acabou. Aos 4 anos de idade a avó disse-lhe que o primo (do pai) tinha ido para o céu e a resposta que levou foi: avó não há caras no céu, só nuvens, por isso o primo S não está no céu. Insiste a avó que não se viam as pessoas mas elas iam para o céu. Já meio aborrecido diz-lhe o pimpolho: avó o primo S está ali no cemitério dentro do buraco. Já te disse que no céu só há nuvens. (eu moro proximo do cemitério e o meu pimpolho nesse verão queria passar lá à noite para ver as luzinhas a piscar).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tenho uma muito pragmática, outra completamente sonhadora, e o pequenino, que ainda se satisfaz com respostas simples. A verdade é que sobretudo para a minha filha do meio, as questões da morte trazem alguma ansiedade e angústia associada. Acho que se conseguir que de alguma forma acreditem na "vida eterna", tudo será mais leve.

      Eliminar
  7. Deixaram-me lá no berloque este comentário; pode ser que ajude…
    D.30/01/2014, 13:00:00
    Para dar uma explicação "aproximada" e bem bonita, existe um livro que acho fantástico para todas as idades. Chama-se "O pássaro da alma". É experimentar por aí.

    ResponderEliminar

Comenta, não pagas nada e eu fico toda contente