O maravilhoso header é cortesia da Palmier Encoberto. Quem mais?

quarta-feira, setembro 13, 2017

Eu também tenho uma palavra a dizer sobre pediculose

Passei apenas para perguntar se alguém já reparou na quantidade de produtos que as farmácias e afins vendem para o tratamento aos piolhos. Se alguém já atentou no negócio dos champos, loções, óleos, géis, pentes de dentes finos, pentes eléctricos, e cenas com repelente (pulseiras, elásticos para os cabelos, e sprays).

Agora pergunto se já alguém reparou quanto custa cada um daqueles produtos, que se aplicam em meninas de cabelo comprido à média de um frasco por cabeça, com repetição na semana seguinte.
Vezes o número de cabeças numa casa, que já se sabe que isto quando é para desparasitar é a família toda.

Agora relacionem isto com o número de vezes que é anunciado na escola dos vossos filhos que há casos de pediculose (tipo, sempre?)

Bom, passei apenas para dizer que os produtos não matam os piolhos, se descobrirem algum que efetivamente o faça, por favor passem o nome. Posso garantir que aplico como deve ser, respeito os tempos de aplicação sempre para muito mais e nunca para menos, e que quando passo os pentes supostamente para retirar cadaveres de piolhos, eles estão tão vivos como estavam até aí. Nadam, fogem, e se não os enviar cano abaixo, voltam para a primeira cabeça que virem.

Que saudades do tempo em que uma pessoa apanhava piolhos uma vez na vida, fazia tratamento com produtos eficazes, que dizem os senhores das farmácias, agora foram todos proibidos. Andava um dia com a cabeça a cheirar a Raid mas tinha o problema resolvido.

Passei ainda para dizer que não acredito que a maioria dos pais faça a quantidade de tratamentos que são solicitados, porque simplesmente não acredito que a maioria dos portugueses possa dispender do seu rendimento familiar do dinheiro que é necessário, e posso garantir-vos que só este ano cá em casa a coisa já ultrapassou um ordenado mínimo nacional.

E as miúdas cheias de piolhos,

E pronto, é isto. Enquanto esta merda não se tornar um caso de saúde pública, ninguém se mexe, e vamos continuar a tentar "asfixiar" piolhos com sabonetes a 18€ o frasco.

Se sabem alguma coisa sobre o assunto, que tenham aprendido não a ler posts patrocinados em blogs, mas a ver mesmo piolhos de verdade, daqueles com patinhas e coiso, por favor digam-me. Estou por tudo.



E com vocês, tudo bem?

terça-feira, março 07, 2017

As crianças são um bicho egoista e caprichoso. Um dia acordam e não gostam de bananas. Ou frango.  Ou pão com manteiga. E estão sempre a precisar de alguma coisa. Qualquer coisa. Uns ténis. Um livro. Uma PlayStation. Uma viagem à Disney.
E nunca estão satisfeitas. Outra vez bife? Outra vez arroz?
A sua frase preferida da semana " o que é que me trouxeste", a do fim de semana "onde é que vamos".
Dão um chouriço a quem lhes der um porco. Ou uma vara deles. São seres interesseiros, que nos rondam com olhos de panda bebé, a troco de chocolate Milka. Ou cromos da Luna.
Estão sempre a perguntar se fulano de tal é rico. Aliás, qualquer badameco que tenha uma coisa que querem muito e não têm deve ser rico. Mesmo que estejamos a falar de um gelado de três bolas e topping de chocolate. Acham que temos a árvore das patacas no quintal, ou que nos saem notas de 500€ quando damos chutos em pedras. Só assim se justifica que ainda não tendo chegado à porta da rua já estejam a anunciar que têm fome. Ou sede. Ou as duas coisas. Afinal adoram abancar de café. Ou de restaurante.
Têm usufruto total da TV de casa. De outra forma não conseguiriam ver pela sétima vez o episódio 548 da Lady Bug. Ou os Morangos com Açúcar gravados em 2005.
O nosso papel no mundo é servi-los. Ajudá-los com os trabalhos. Atar-lhes os sapatos. Providenciar torradas. Limpar-lhes o rabo. Levá-los a 37 festas de anos, saraus, treinos, festas de pijama e noites de  Halloween. Com o tempo que nos sobra podemos sempre aproveitar para lhes ir comprar um casaco maior. Pagar o ballet. Ou encher-lhes os pneus da bicicleta.
Passam o dia a correr, a saltar de sofá para sofá, a fazer "musicallys", mas se são chamados a levar um prato para a cozinha, estão obviamente muito cansados. Hello, somos apenas crianças.
As crianças são um bicho egoista e caprichoso.
Não sei se já tinha dito.