O maravilhoso header é cortesia da Palmier Encoberto. Quem mais?

segunda-feira, dezembro 01, 2014

Querido e amado marido, pode não parecer, mas isto é uma espécie de pedido de desculpas misturado com declaração de amor

Aqui há uns tempos, meses, deixei neste posteste comentário
O autor do blogue bem avisava que aquilo era a guerra dos sexos e que era melhor meter o capacete!
O JMT agarrou no meu comentário e fez este post.
Dito-Cujo, que nos tempos livres se dedica a tentar perceber onde ando eu metida por essa blogosfera fora e o que ando para aí a dizer, descobriu hoje, sete meses depois, os posts e os comentários, e está verdadeiramente ofendido, mas mesmo verdadeiramente ofendido, porque no segundo post o JMT insinua que eu e outras comentadoras do primeiro post, estaríamos "ligeiramente fartas" dos maridos, o que não foi de imediato e veementemente desmentido por mim.
Mais, acusa-me de nunca escrever nada que abone a favor dele como pai e como marido e de me chorar por essa bloga fora como uma mártir cansada e explorada pelo marido, coisa que penso que as solidárias leitoras poderão desmentir de imediato, pois não me parece que me passe a vida a queixar do marido que escolhi (ESCOLHI, notem bem), para casar e com quem escolho (ESCOLHO, notem novamente) viver todos os dias.
Bom, poderia ir deixar um comentário ao post de Abril do JMT a dizer que essa coisa de dizer que estou um bocado farta é uma conclusão talvez abusiva, mas passados sete meses, não teria o efeito desejado, e se não o fiz na altura, não vou maçar as pessoas agora.
Por essa razão, serve o presente post para anunciar que tudo na vida são escolhas, e que estou com Dito-Cujo porque é o homem da minha vida, que tem qualidades que superam em muito o facto de não saber ligar o ferro de engomar ou a máquina da roupa, é um excelente pai, prova disso é ter três filhos apaixonados por ele, tem a missão de passar montanhas de tempo sozinho com Migalhas enquanto eu trabalho a desoras, e é felizmente menos stressado com coisas que me enervam como as camas não estarem feitas, porque se fossemos os dois assim como eu, acabaríamos a criar crianças maluquinhas da pinha, e para maluquinha já basto eu.
É de equilibrios que se fazem as coisas, ele vai continuar a não dar importância a um saco que fica no chão quinze dias, eu vou continuar a barafustar com o saco. Isto são as dinâmicas familiares, cada família tem a sua, nós temos a nossa, já dura há um carradão de anos e espero que possa durar toda a vida, porque não saberia viver de outra maneira (talvez consiga viver sem o saco no chão).
Espero que com esta reposição da verdade dos factos, e com algum sentido de humor, Dito-Cujo me possa perdoar a falha de não ter saltado em sua defesa quando o JMT agarrou no meu comentário e me transformou numa espécie de Malala dos trabalhos domésticos. É um facto que lá em casa estamos longe do 50/50, mas também é verdade que a vida conjugal e o amor não se esgotam na organização da casa e nas tarefas domésticas e que um marido não se avalia pela sua prestação com o aspirador (graças a Deus, que seria).
O que disse e repito, é que algumas mulheres- como eu - começam por fazer tudo (e no início realmente porque teve que ser) e depois gostam do poder de decisão que lhes é conferido por chamarem a si as responsabilidades, tomam-lhe o gosto, e mesmo que estejam cansadas, já não largam o "poleiro", o que afasta qualquer homem com dois dedinhos de testa, da cozinha, do estendal ou dos TPC's dos filhos, e que até acaba por dar jeito aos dois.
Afinal, a conversa vem de JMT admitir que em todo os lares que conhece,  é a mulher que usa as calças, que é como quem diz, que manda nas questões domésticas e dos filhos: que decide.
Daí até uma pessoa estar farta, vai uma grande, enorme,  distância, e sim, poderia ter disto isto logo na altura, mas sinceramente, achei muito pouco relevante para o tema, a menos claro, que achasse que o visado marido se iria melindrar...
E depois disto, meu amor, podes dizer o que quiseres, mas não digas que os meus esgrimados argumentos, são de merda.
Diz antes que "desta passa" e para "ter mais cuidado", ainda que, e note-se que também é importante, ninguém faça a mínima ideia de quem são a Xaxia e o Dito-Cujo.

25 comentários:

  1. Lágrimas. Escorrem-me lágrimas pela cara.
    (been there.. os "sacos no chão", deixaram de me fazer confusão, a bem da minha sanidade mental, e não me aborrece assim tanto não ter a casa pronta a ser fotografada pela Caras, a verdade é que nunca foi)

    Argumentos de quê? ahahahahahahahahahahahahah

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pretendia ser um post sério escrito com algum humor para aliviar a tensão instalada. Agora que vejo que se riu até estou preocupada... Era suposto ser sério...:(

      Eliminar
  2. A sede pelo poder, pelo poleiro, sempre a sede pelo poder. Até tu sentes esses fascínio.

    (e alguém se farta de mandar? Tirando o outro que dizia"se soubesses o que custamandar toda a vida querias obedercer)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que queres... Está coisa de decidir em que escola vai Migalha fazer ballet e se a sopa é de agrião ou espinafres, é viciante...

      Eliminar
    2. (ando que que tempos para te dizer que quando chamas dito-cujo ao teu marido me lembro sempre das aulas de família e sucessões, onde nos referíamos ao "de cujus" quando falávamos do autor da herança, o morto, "de cujus sucessione agitur")

      Eliminar
    3. Credo Mirone, p'lo amor de Deus!
      (adoram ver a fogueira, não é?)

      Eliminar
    4. Estou doentinha, sabe-me bem o quentinho. :DDD

      Eliminar
    5. (eu chamo Mr. Mirone ao meu, não há-de ser muito melhor. Não é, já mo disse que odeia o meu nick e, por inerência, o seu))

      Eliminar
  3. Hummmm...

    (Dito-Cujo sabe quem é Xaxia. Isso é o bastante...)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu disse solidárias leitoras...

      (Não está a ajudar, sabia?)

      Eliminar
  4. Eu sou um solidário leitor. Solidário com Dito-Cujo.

    (sei)

    ResponderEliminar
  5. E depois as mulheres é que são complicadinhas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Deve ser a coisa da igualdade, os homens também terem direito a complicar.

      Eliminar
  6. O que retive desta paródia familiar: Ela - "garantir os mínimos"; Ele - "director de multinacional que arrecade para 7 criadas". Por mim esta bem assim, não mexam mais! :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Até que enfim alguém se foca no essencial!

      Eliminar
  7. Quem te manda andar por blogs pouco recomendáveis. O tipo é parvo (JMT)! Dito Cujo de Xaxia ela não comentou por mal :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Finalmente uma leitora solidária fofinha! Obrigada Lulu!
      (Gosto do JMT, mas esmiuça os assuntos até à exaustão!)

      Eliminar
  8. Eu só venho cá dizer que tenho muito boa impressão do teu marido e que o amor, admiração e respeito que lhe tens são por demais evidentes e trespassam as ondas de rádio frequência...

    (De nada, meu doce.)

    ResponderEliminar
  9. Querida Nê, vejo que estás imbuída de espírito natalício.
    (Ahahahahahahahahahahahahahahahahahaha, adorei)

    ResponderEliminar
  10. Tivesse eu visto esta porra ontem e escusavas de me ter recebido com aquela mini lingerie... não te tinhas safo tão facilmente não :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Talvez isto seja um sinal que ter moderação de comentários é uma cena inteligente...

      Eliminar
  11. Li o seu comentário, concordo e parece-me injusto que a mulher chame a si a maior parte das secas. Mesmo que a mulher não trabalhasse, isso seria injusto. Trabalhando, ainda me parece mais injusto e sem qualquer justificação plausível

    Alguma irritação parece-me justificada. Se Dito-Cujo ficou algo aborrecido? Pois, admito falta de empatia da minha parte.

    Já a apropriação que foi feita do seu comentário deverá ser encarada como se fosse o Homem Sem Blog a fazê-lo.

    ResponderEliminar

Comenta, não pagas nada e eu fico toda contente