O maravilhoso header é cortesia da Palmier Encoberto. Quem mais?

sábado, maio 03, 2014

Mãe à beira de um ataque de nervos...ou então foi mesmo um ataque de nervos

Bem, façamos de conta que entram no quarto das vossas filhas e verificam que o tapete cor de rosa lindo maravilhoso, está todo cheio de tinta preta.
Imaginemos que há quinze dias já eles tinham feito o mesmo no quarto do Sancho, e que ficaram proibidos, mais que proibidos, super proibidíssimos, de mexer em tintas sem autorização.
Depois, suponham que à pergunta "quem mexeu nas tintas", Migalha do Meio resolve acusar-se e falar de uma surpresa para o dia da Mãe, apesar de dizer que levou as tintas para o quarto, mas foi o irmão quem as distribuiu pelo tapete.
O que acham que fariam? Gritavam, descabelavam-se, davam cinco palmadas no rabo de cada um, e punham os dois de castigo, enquanto arrastavam o tapete para a máquina de lavar (abençoada a hora em que resolveram comprar uma máquina para não sei quantos quilos de roupa), e repetiam "reza para esta porcaria sair"; ou mal a vossa filha vos dissesse que desobedecera para fazer um desenho para vos oferecer, relevavam e diriam com ar doce "para a próxima usa lápis de cera"?
Em minha defesa, Migalha do Meio está a dias de fazer seis anos, em Setembro vai para o primeiro ano, e basicamente desde os dois que só faz merda...
Vá, façam-me sentir mal, digam lá, fui injusta?

11 comentários:

  1. Apesar de algumas pessoas dizerem o contrário, a maternidade não se aprende nos livros, as situações acontecem e a mãe, neste caso tu, faz o que acha melhor na altura, se achaste que era o melhor não há porque te sentires culpada. Acho eu... que não percebo nada do assunto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O problema é que não achei nada. Mal vi o tapete fiquei tão furiosa, que não houve tempo para pensar que uma palmada vinha a calhar. Quando vi já estava!

      Eliminar
  2. Da próxima vez hão-de lembrar-se de perguntar ao pai. Sem culpas, sim? Regras são regras. Há que saber desobedecer sem ser apanhado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É um facto, regras são regras, e esta estava bem presente e fresquinha.

      Eliminar
  3. Eu até sou uma gaja que acha graça à parentalidade positiva e essas tretas, mas levavam com gritos e castigo de certeza. Mãe não tem que ter paciência de santa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu ainda juntei as palmadinhas no rabo.

      Eliminar
  4. Eu ralhava e descabelava-me e agarraria nas tintas e despejava-as no lixo e dizia que nunca mais haveria de lhes comprar tintas e fazia um drama de faca e alguidar, eu a gritar de os lado, os miúdos lavados em lágrimas do outro, e depois ficava sentir-me pessimamente, à beira de um ataque de nervos, ou mesmo com um ataque de nervos. Entretanto a máquina haveria de acabar de lavar e a nódoa saíria. Poria o tapete a secar ainda com o esófago em fogo, dava-lhes banho e jantar praticamente em silêncio, mandava-os para a cama sem desenhos animados. Eles, ainda assustados e arrependidos, haveriam de esmerar-se no comportamento e acatariam todas as tuas ordens, Yodos teriam dificuldade em adormecer. Mas hoje acordariam felizes, eles excitados porque é dia da mãe tu babada porque nunca umas pinceladas pretas numa folha te pareceram tão bonitas.
    As nossas mães avisaram-nos que não seria fácil, nós é que não lhes demos ouvidos, assim como na semana passada os teus Migalhas não te deram para esta semana repetirem a façanha.
    Vale o bem que sabe pelo mal que nos faz ao coração.
    Bom dia da mãe!

    ResponderEliminar

Comenta, não pagas nada e eu fico toda contente