O maravilhoso header é cortesia da Palmier Encoberto. Quem mais?

segunda-feira, março 16, 2015

Sosseguem o meu coração de mãe...

Quando mandam os vossos filhos largar o iPad ou o caraças do tablet ou o que for que usam para jogar, para irem comer/tomar banho/vestirem-se/por a mesa/lavar os dentes/fazer TPC/arrumar o quarto/sair, também vos respondem sempre..."deixa-me só perder"?

43 comentários:

  1. " Deixa-me só acabar o nível papá..." é o que a minha me responde...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Talvez as minhas já saibam que vão perder...?
      :DD

      Eliminar
  2. A Mironinho joga jogos de maquilhagem e penteados e vestir/despir, tratar de bebés... não dá para perder. Mas sim, resmunga sempre.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ultimamente andam de volta de um pinguim. Mas não faço ideia que se passa com o animal.

      Eliminar
  3. Respostas
    1. Sim, mas minhas também. Quando começo a refilar a sério, já com o rabo na ponta do sofá, vem o "deixa-me só perder".

      Eliminar
  4. o meu larga e salta a ir fazer o que lhe é pedido, porque sabe que se não o fizer imediatamente fica 1 semana sem ferrar as unhas no jogo. tb já sabe que só joga durante aquela meia hora entre chegar a casa e ir para o banho, por isso....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Normal, numa mãe que impõe a autoridade ditatorial de mãe inflexível, mas como as outras são mães que pensam com o coração e não com a razão, é claro que têm os problemas e a Whitesoul tem o sossego.

      Eliminar
    2. Ter regras é ser ditatorial e inflexível? A sério? Na minha terra chama-se ter educação.

      Uma coisa é haver uma excepção à regra por um ou outro motivo, outra é achar que a pessoa não tem coração só porque impõe regras.

      Suponho que seja familiar da minha sogra que ai meu deus se alguém contraria o menino [neto]...

      Eliminar
    3. Não sou e pela sua conversa agressiva já vi a sua educação que é a mesma que quer impor aos seus filhos. Há muita gente assim que só para terem o cu alapado no sofá descansadinho criam regras para os filhos piores do que a polícia na caça às multas, ou pensa que eu não conheço muito gente como você, que até se vira contra a sogra por ser uma boa sogra e gostar do neto, mas nem agradece a sorte que tem por ter uma boa sogra e ainda anda a critica-la
      Sabe o que estou aqui a pensar? Com o seu feitio de ditadora tenho pena do seu filho e do seu marido. Apostava que deve ser uma guarda prisional numa prisão de alta segurança.
      Passe bem e seja mãe como as outras que gostam dos filhos.

      Eliminar
    4. Caro anónimo, não é uma questão de ditadura e inflexibilidade, aliás até é uma democracia já que foi dado a escolher ao meu filho entre só jogar ao fim de semana, ou todos os dias um bocadinho, e foram-lhe explicadas as regras e consequências em cada um dos cenários. Ele optou por jogar todos os dias um bocadinho porque "se não jogar, os minions vão ficar com muitas saudades minhas". Aquilo que ensino ao meu filho não é ditadura e inflexibilidade, mas sim que cada escolha que fazemos tem sempre uma consequência de acordo com o modo como cumprimos essa escolha. Estou errada? talvez! mas acho importante que ele tenha consciência que todas as nossas escolhas e a forma como nos portamos perante a vida tem consequências, boas ou más, só depende de nós

      Eliminar
    5. Veja o anónimo que eu até nem sou contra a minha sogra, só sou contra a atitude dela para com as regras e educação que tentamos dar ao nosso filho e somente porque queria ser ela a ficar com o neto e não conseguia perceber que para ele ficar com ela, ela tinha que lhe dar regras e educação.
      E nem fui eu quem se virou contra estas atitudes dela mas sim o meu marido que até lhe disse que não a achava capaz de tomar conta do filho, precisamente porque ela lhe fazia/dava tudo, mesmo que lhe fizesse mal à saúde.

      No entanto, ninguém lhe tirou o neto por isso, simplesmente pode ser avó de fim-de-semana mas não do dia-a-dia pois para estar com uma criança todos os dias a teoria do "deixa andar" e do "nunca digas não", "nunca contraries um menino", leva-nos a muitos casos de pais e avós mal-tratados e até mortos pelos seus queridos netos/filhos quando estes são adultos e depois levam um não e não sabem lidar com ele.
      Eu não quero um filho que maltrate um avô e até lhe digo que sou tão mal-educada que não admito que o meu filho seja rude ou mal-educado para a minha sogra, no entanto, ela é incapaz de o repreender quando ele o é.

      O meu filho tem regras, tem amor, carinho e tem opções como o da whitesoul. No entanto, depois de estar algo combinado é para ser cumprido, até para ele perceber que na vida há consequências para as nossas escolhas e que o facto de escolher A significa que não vai ter B.

      Se há dias diferentes? Dias onde as regras não são cumpridas à risca? Há. Na questão do respeito para com os outros não lhe dou essas excepções, nunca.

      Eliminar
    6. Talvez o anónimo não saiba que impor regras e fazê-las cumprir, dá muito mais trabalho do que fechar os olhos, ou deixar andar. Eu gostaria de ser mais preserverante na definição de regras relativamente a estas coisas. Evitava ter que gritar todos os dias, mas confesso que por comodismo vou deixando andar. A única coisa que cumpro são os castigos (uma semana sem jogar no ipad, pimbas), mas ter normas quanto aos dias e horas de jogar, sinceramente não tenho. Eles são três, só há um tablet, nunca jogam muito tempo seguido...Bom, gabo quem consegue ter tudo bem definido nestas coisas e faz cumprir. Toda a gente sabe que é o melhor para as crianças (excepto a anónima, claro).

      Eliminar
  5. “Deixa-me só....” é certinho, nem sempre é perder, às vezes é acabar o nível, ou outra coisa qualquer do género...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, o "deixa-me só" é-me altamente familiar!

      Eliminar
  6. Os meus diziam sempre "é só mais um minutinho ". Invariavelmente a coisa acabava comigo aos berros passados vários minutinhos.
    Mas ficaram sem as porcarias, várias semanas em que as psp foram proibidas durante a semana, tm depositados à entrada... Agora até saltam, só oiço "sim mãe"

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lá berrar eu berro, de quando em vez lá lhes arranco aquilo das mãos, mas assim tipo "várias semanas" ainda não aconteceu.

      Eliminar
  7. A minha filha responde o eterno e irritante "Já vou..." grrrrrrrrrrr

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cá o já vou dá para quase tudo (quando estão a brincar/ver televisão/o caraças), mas para os jogos é mesmo o "deixa-me só perder"

      Eliminar
  8. Nada disso, computadores e afins só ao fim de semana mas claro, têm sempre tarefas muito importantes que não podem largar. Eu deixo-os até entrar em ebulição e dizer calmamente: "Vou contar até 3!" Não sei porquê mas nunca passei do 1, eles nem sequer sabem qual é a consequência do 3, nunca lá arriscaram a chegar! Mas macaquita é pequena e macaquito, gosta de cumprir regras, logo, não sou bom exemplo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As crianças não gostam de cumprir regras para a Be estar a dizer que o seu filho cumpre as regras mas se cumpre é porque já foi severamente castigado por desobedecer, porque as crianças normais estão sempre a desobedecer. A Be é mas é outra mãe severa como a Whitesoul que se veio armar que os filhos dela são educados, mas são mas é umas crianças que vivem aterrorizadas por uma mãe dos tempos das guardas prisionais do hitler, e a Bé é outra mãe igual a ela que só querem estar de cu descansado e por isso aterrorizam os filhos com regras rigidas para não os aturarem.

      Eliminar
    2. Anónimo, não me conhece e provavelmente nem merece uma resposta num blog que nem sequer é o meu. Os meus filhos nunca foram severamente castigados. O meu filho gosta de cumprir regras porque é autista e os autistas, por norma, gostam de rotinas e regras e de as cumprir. Nunca lhe dei uma palmada. Os meus filhos fazem birras mas mais importante que isso têm uma mãe que só senta o cu no sofá quando eles estão na cama. Mas isso são pormenores que pouco lhe interessam, sabe as pessoas quando não têm nada válido para dizer deveriam manter-se caladas porque atestar na vida dos outros sem os conhecer de lado nenhum, só revela falta de educação.

      Eliminar
    3. Be, esqueça não vale a pena, parece que o anónimo veio para aqui só para armar barraca deixe-o estar. Eu não disse que o meu filho não desobedece ou que é muito educadinho e nunca faz asneiras, apenas respondi ao caso especifico dos jogos de telemovel, que foi o que a Xaxia perguntou. Ou ela perguntou assim na vida em geral e eu não dei conta?

      Eliminar
    4. E este anónimo perdeu uma boa oportunidade de estar caladinho.. É o q dá generalizar e partir p o ataque sem questionar antes.
      Eu é que temo pela educação de crianças que têm exemplos destes, pessoas que se metem a julgar sem conhecer.

      Eliminar
    5. Antes de mais não sou anônimo e sou uma anônima e mãe de duas crias normais a quem as deixo ser crianças normais, porque os filhos não pediram para vir ao mundo e nem têm culpa dos problemas dos pais. E se se acha muito inteligente eu não questionei antes nem tenho nada que questionar porque a whitesoul é que veio dizer que os filhos dela são muito educados porque cumprem as regras militares da casa dela, para mostrar que ela sabe dar educação aos filhos e as outras mães são umas incompetentes que não sabem educar os filhos.
      As mães todas vieram dizer que os filhos não obedecem e passam uma data de trabalhos com eles, o que é normal porque uma criança da trabalho e moem a paciência dos pais, mas a MÃE whitesoul veio passar um atestado de mas mães porque não sabem educar os filhos e os dela são educadinhos que até gostam de cumprir regras e tudo, mas há alguma criança que goste de cumprir regras se não viver aterrorizado? E os avós vêem isso e querem que os netos tenham uma vida normal de uma criança normal mas vejam bem o que ela veio dizer, coisas sem cabimento nenhum a falar nos netos que matam os avós, mas alguém falou nisso? Só fala ela para dizer que se os avós forem bons para os netos eles depois vão assassina-los, por isso isso criou regras rígidas para os filhos que é para a segurança dos avós não morrerem assassinados.
      E depois disse que é o marido que é pior do que ela, mas Deus faz as coisas bem e quando faz uma panela faz logo um testo para ela, e eu estou mesmo a ver a vida de horror dos filhos deles com medo da mãe e cheios de terror do pai.
      E para terminar porque ja disse o que queria dizer e eu é que tenho razão, deixem as crianças ser crianças e não têm nada que fazer os vossos filhos pagarem pelas vossas frustrações.
      E agora adeus e vou arrumar o quarto dos meus filhos que ficou uma bagunça de ontem, e logo quando voltarem que desarrumem outra vez que eu só quero ver os meus meninos felizes e a rirem-se com a mãe e não a chorar traumatizados.
      Tchau, vai aprender a ser mãe e não penses só nas nails nem no look.

      Eliminar
    6. Claramente a a nónima tem ai uma isca qualquer com a whitesoul, com a qual não tenho nada a ver.
      Aparentemente a inteligente é a anónima, pq no meu comentário n identifico onde disse q me acho inteligente, mas se a anónima viu...seguramente terá razão, como em tudo, imagino, a julgar pelo seu comentário "E para terminar porque ja disse o que queria dizer e eu é que tenho razão...".
      E reitero, temo pela educação de criancas com este tipo de exemplo "não questionei antes nem tenho que questionar pq a whitesoul..." Primeiro o comentario q eu comentei foi o q fez à BE, pelo que não compreendo pq fala na whitesoul. Segundo, sim senhora n pergunta tem de ter perguntar, fazemos juízos de valor sem conhecer a vida das pessoas (lembro q criticou a Be q se limitou a dizer q o filho sp gostou de regras). Faz mto bem, continue assim q vai bem, e já agora vá pela sombra também.

      Eliminar
    7. RIP ao neurónio da anónima que acabou de falecer, não disse que tenho filhos, porque só tenho 1, não há regras militares em minha casa, não passei atestado de coisa nenhuma a ninguém, limitei-me a falar do meu caso pessoal numa situação muito específica. Não conheço ninguém que comentou.... enfim, deve ter acordado mal disposta hoje, pode ser que amanhã já lhe tenha passado a azia.

      Eliminar
    8. Já agora, whitesoul, aproveito p lhe dizer q, naturalmente, to n concordei com as críticas que lhe foram dirigidas a si. Mas como estava a responder a um comentário feito à Be n quis misturar.

      Eliminar
    9. Quanto a esta anónima só tenho uma coisa a dizer, devia ir comentar para as caixas de comentários do CM. Alguém que atesta sobre educação castradora e sobre coisas que nem sequer foram ditas com a certeza que ela o faz, das duas umas: ou é apanhada ou bate mal.
      E mais, as crianças não podem ser educadas e cumpridoras só porque sim, pelo facto de ser essa a sua própria natureza (que não é o caso da minha mais nova). Isso faz de nós mães Hitler ou lá o que nos chama? Porque nem eu, nem a Whitesoul dissemos que os meninos que dizem "vou já" são mal educados ou os pais dessas crianças maus pais. Apenas se comentou uma determinada situação com a nossa própria experiência e não rotulámos ninguém disto ou daquilo.
      Por aqui me findo porque já ouvi dizer que quando discutimos com um estúpido, ele leva-nos ao nível dele e ganha-nos em experiência!!

      Eliminar
    10. Quem falou dos netos que matam avós (ou pais) fui eu, não foi a whitesoul. Se não se acredita, ligue a televisão uns momentos e veja os noticiários um bocadinho. Depois vá ler o que dizem sobre essas pessoas que o fazem. Por norma é "toda a vida deixaram fazer o que quis". Pois. Porque dizer "não" na educação é tão importante como amar e dar carinho.

      Ser mãe é dar educação também. Eu sei que dá trabalho mas se for para não dar, não os tenha.

      Ps: Arrume o quarto dos seus filhos toda a vida e um dia eles serão uns inúteis e incompetentes, incapazes de ser autónomos. Nunca lhes dê educação e um dia verá o respeito que lhe terão, a si, aos avós, professores e afins.

      Eliminar
    11. Me, my shit and I, eu percebi que não tinha nada a ver cmg :) , nem precisava de se justificar :):) mas obrigada

      Eliminar
    12. Já disse em cima, mas vou repetir-me. As crianças precisam de regras. E de quem lhas imponha e as faça cumprir. Dá-lhes segurança e auto-confiança. Acho que há poucas coisas em que os pediatras, e os psicologos e pedopsiquiatras estejam tão alinhados como nesta questão. Claro que as regras devem ser razoáveis, ajustadas, mas quando a questão é um jogo de um tablet...Por amor de Deus, basicamente poderiam nunca jogar a vida toda que não vinha daí mal ao mundo. Já agora, aconselho à anónima a leitura de um livro muito interessante chamado "O pequeno ditador" de Javier Urra. Depois podemos voltar ao tema. Quanto ao facto dos meus filhos não obedecerem de imediato quando os mando largar o tablet, isso quer dizer apenas que ainda não lhes dei um castigo suficientemente duro (não, não são tareias por amor de Deus) que os faça pensar duas vezes. E quem está errada sou eu.

      Eliminar
    13. Tenho cá para mim que o anónimo é um velho conhecido nosso...

      Eliminar
    14. Também acho! Mas se foi mais uma vez vos fez cair a todas que nem patinhas.
      Eheh...

      Eliminar
    15. Sério? Defina todas e justifique, se fizer o favor.

      Eliminar
    16. O meu palpite é este: o anónimo começou por apresentar a sua opinião sincera, porém, quando se apercebeu da argolada cometida (não sabia que o filho da Be era autista e portanto o seu argumento tinha caído por terra) decidiu caricaturar a sua posição, voluntariamente fez afirmações que sabia pouco razoáveis e insustentáveis, para depois tentar limpar a face e dizer que esteve o tempo todo a ironizar e que vocês é que não perceberam que o anónimo é mais esperto que vocês todoas juntas.

      Eliminar
    17. Podia, se não obstasse um pequenino pormenor que inviabiliza a sua tese, inteligente senhora Mirone.
      Não podia prever que a Mais Picante com seu comentário lhe fornecesse o ensejo de justificação.
      Ou podia?

      Eliminar
    18. Portanto, eu que não sou dado nem achado nesta intriga dramática, acho que o anónimo, que provavelmente conhece o que é o mulherio de ginjeira, comentou no intuito de provocar as reacções normais do género enervadinho por natureza, sem que, note-se porque isso é deveras importante, não deixasse na sua retórica o seu cunho pessoal a fim de suspeitosamente ser identificado.
      Mulheres, sempre tão inteligentes. Olha se tivessem a igualdade bem afundavam o mundo.

      Eliminar
    19. Quer mesmo que lhe explique porque vim expor o meu palpite? Porque por norma não exponho palpites se não for "puxado" o assunto. Uma vez que o se proporcionou...
      No mais, por uma questão de educação e porque me merece respeito, não vou abordar a questão da "inteligência".

      Eliminar
  9. Vou já. Já vou. Mais um bocadinho. Está quase a acabar. Falta pouco. Deixa-me ganhar. Deixa-me perder.

    ResponderEliminar
  10. O meu mais velho por norma é "deixa-me só fazer uma coisa" ou "deixa-me só acabar isto" ou então o "já vou" que é só a pior resposta que me podem dar
    O mais novo já tenta fazer o mesmo, mas regra geral é mais "aplicadinho" que o irmão e se chamo uma vez com o "já vou" pelo meio, à 2ª ainda a frase não vai a meio já ele está a caminho :-)

    ResponderEliminar

Comenta, não pagas nada e eu fico toda contente